a pregnant woman is holding her tummy

Os benefícios da cirurgia bariátrica para uma gestação saudável

Muitas mulheres com quadro de obesidade severa podem recorrer a técnicas cirúrgicas para diminuir riscos associados à obesidade.

De acordo com estudos, engravidar com grande excesso de peso aumenta os riscos de a criança sofrer com o mesmo problema.

Segundo dados do Ministério da Saúde, 18% das mulheres brasileiras são obesas. A doença causa complicações sérias que afetam diretamente o sonho de se tornarem mães. O excesso de peso e a obesidade prejudicam a fertilidade feminina e podem comprometer a gestação saudável. Por promover uma mudança de estilo de vida e tratar a obesidade, a cirurgia bariátrica permite que mulheres possam engravidar com mais facilidade e ter uma gravidez mais segura e saudável.

Ainda que a cirurgia melhore as condições para a gestação, não é uma solução mágica. As mulheres precisam se informar, falar com seu obstetra e estarem cientes de que deverão seguir as recomendações médicas para que os benefícios da operação sejam reais. É preciso acompanhamento médico contínuo e uma mudança no estilo de vida com dieta balanceada e uso de suplementos.

As mulheres que realizarem cirurgia bariátrica poderão engravidar de forma segura depois de um ano e meio da operação, depois da estabilização do peso. Pelo aumento da fertilidade após a cirurgia bariátrica, é preciso evitar surpresas indesejáveis durante este período. É preciso redobrar os cuidados na hora de manter relações sexuais. Nos três primeiros meses a mulher deve usar anticoncepcional e o parceiro preservativo, que serve de segurança extra para caso o corpo não absorva corretamente o remédio.

Side profile of the legs of a woman standing on a weighing scale

Novos hábitos alimentares são cruciais para evitar reganho de peso após a cirurgia bariátrica

Um dos maiores desafios para os pacientes que recorrem à cirurgia bariátrica é a mudança de hábitos de vida – alimentares e de exercícios físicos. As mudanças são radicais, mas podem ser conquistas aos poucos, ainda antes da realização da cirurgia.

Estima-se que cerca de 10% dos pacientes que fazem cirurgia bariátrica volta a engordar. Desse total, 15 a 20% têm um ganho de peso acima do aceitável e 5 % ganham novamente todos os quilos perdidos com o auxílio da cirurgia. É admissível o reganho de até 10% do peso perdido, segundo recomendações médicas.

A nutricionista Farida Cortez alerta para os cuidados que os pacientes devem adotar, uma vez que passam pelo processo cirúrgico. “Muitos pacientes bariátricos, com o passar do tempo, passam a não dar mais atenção aos novos hábitos e caem nos vícios antigos da alimentação. Relatam bem-estar e acreditam que podem manter o peso sem a supervisão e os cuidados propostos pela equipe”, revela.

De acordo com Farida, muitos pacientes começam a se permitir pequenas exceções que acabam se tornando muito frequentes, porque se sentem seguros com o novo peso. No entanto, alguns comportamentos que levam ao reganho de peso estão prontos para dar o bote, afinal, a obesidade trata-se de uma doença crônica, complexa, multifatorial e de difícil controle.

Veja alguns dos pecados mais cometidos pelos pacientes bariátricos e que precisam ser radicalmente evitados, segundo Farida:

– Beliscar alimentos calóricos, com a certeza que é “só um pouquinho”.
– Comer alimentos de consistência liquida e pastosa. O sucesso se dá apenas com “alimentos mastigáveis”!
– Uso exagerado e descontrolado de bebida alcoólica
– Falha no consumo de proteínas e fibras necessárias para garantir saciedade e equilíbrio da dieta
– Sedentarismo

“Em resumo: o reganho de peso pós-cirurgia bariátrica é um grande desafio para os profissionais da saúde que se dedicam ao tratamento da obesidade mórbida, bem como para seus pacientes”, completa a nutricionista.

Lembre-se: essa iniciativa é sua. Atente aos cuidados e informações da sua equipe médica e obedeça à risca todas as recomendações. É preciso disciplina e alguns sacrifícios, mas logo os resultados aparecem e farão você ter ainda mais motivação!